Carlos Tavares

Rúbrica dos portugueses notáveis

Nasceu em Lisboa a 14 de agosto de 1978. Mudou-se para França quando tinha apenas 17 anos para estudar engenharia mecânica, uma das suas grandes paixões. A adaptação a este novo país foi rápida, muito devido ao domínio da língua francesa. Que aprendeu ao fazer os seus estudos num liceu francês. Carlos Tavares sempre foi um apaixonado pelos automóveis, desde do seu fabrico, mas também pelas corridas, tendo participado em vários ralis como piloto.

Logo após ter terminado o seu curso, em 1981, começou a trabalhar para marca francesa, Renault dando início a sua carreira profissional dedicada a indústria automóvel.

Carlos Tavares iniciou a sua carreira na Renault ocupando o cargo de engenheiro testes, mas rapidamente começou a crescer dentro da Renault, ocupando diferentes cargos, chegando a conceber toda a gama da marca Mégane II.

Em 2005, Carlos Tavares muda de “casa” para a Nissan onde é nomeado vice-presidente executivo e passado 4 anos torna-se responsável pela Nissan da América do Norte, concessionária que estava a ter imensos prejuízos e que passado um ano após Carlos Tavares ter começado a exercer as funções, a Nissan consegue obter benefícios a rondar 2.200 milhões de dólares.

Em 2013, decide regressar a casa onde iniciou a sua carreira, Renault, como vice-presidente, mas só desempenhando funções durante um ano.

Em 2014, muda-se para o grupo PSA detentor das marcas Peugeot e Citroën, que inicialmente ocupa o cargo do número 2 do grupo PSA mas que rapidamente torna-se CEO, cargo que ocupa atualmente, no grupo. Destaca-se o facto de Carlos Tavares ser o único colaborador a tornar-se presidente sem ter tido feito carreira dentro do grupo PSA, mas que foi compensada pela sua longa experiência na indústria automóvel e pelos feitos que conseguiu atingir.

José Saramago

Rubrica de portugueses notáveis

No dia 16 de novembro de 1922, em Azinhaga do Ribatejo, Santarém, nascia um dos mais notáveis portugueses da literatura nacional. Este é José Saramago. 

Com apenas 2 anos de idade, emigra com os seus pais, para a capital portuguesa, onde decorre grande parte da sua vida adulta.

José de Saramago era um homem de origens humildes, e devido a falta de recursos financeiros acabou por não concluir os seus estudos secundários. O seu primeiro emprego foi em serralharia mecânica. Antes de começar a viver exclusivamente do seu trabalho literário, José Saramago foi desenhador, tradutor, editor, jornalista, funcionário da saúde e providência social. Salienta-se o seu trabalho como crítico literário na revista Seara Nova e comentador político na redação do Diário de Lisboa. É então em 1976 que se dedica exclusivamente às suas obras literárias.

A obra de José Saramago é extensa e diversificada, desde romances a ficções, com um estilo único, por vezes polémico, pelo seu carácter político e religioso. Foi em 1947 que o seu primeiro livro, Terra do Pecado, foi lançado. Só em 1966, volta a ser publicado um livro da sua autoria. Com cerca de 40 livros publicados, traduções em mais de 30 línguas e adaptações em cinema, teatro e outras obras de carácter artístico, destacam-se obras como “Levantado do chão”, “Memorial do Convento”, “O Evangelho segundo Jesus Cristo”, “Viagem a Portugal”, “Ensaio sobre a cegueira”, “Caim” e “A Viagem do Elefante”.

Em 1993, muda a sua residência oficial para Lanzarote, nas ilhas Canárias, onde vive com a sua mulher Pilar del Rio. Continua, no entanto, a ter grande conexão com Portugal, possuindo habitação em Lisboa.

José Saramago era português, mas a sua obra é reconhecida e inspiração por cidadãos de qualquer parte do globo. Foi-lhe dado o título Doutor Honoris Causa, em inúmeras universidades, em Portugal, Espanha, Itália, Brasil, Inglaterra, Irlanda, França, EUA, Argentina, México, Uruguai, El Salvador, Chile, Suécia e Canadá.

Em 1995, é reconhecido com o prémio Camões e em 1998 é o primeiro português a vencer o Nobel da Literatura.

Em 18 de Junho de 2010, com 87 anos, falece. José Saramago deixa uma extraordinária obra literária, assim como uma vida marcada pela defesa dos Direitos Humanos, paixão pela literatura e envolvência política.