O Balcão do Emigrante é uma entidade privada

Crédito habitação para residentes no estrangeiro

Início » Artigos » Crédito habitação para residentes no estrangeiro

É natural existirem dúvidas quanto à possibilidade de fazer um Crédito Habitação em Portugal, principalmente se reside no estrangeiro. Mas, a verdade é que não tem que ser difícil. Neste artigo vamos ajudar a esclarecer como pedir um crédito habitação através de instituições bancárias portuguesas. 

Como pedir crédito habitação em Portugal residindo no estrangeiro?

Sabia que mesmo recebendo o seu salário noutro país é possível comprar casa em Portugal?

O processo para a compra de casa por emigrantes, é mais complexo do que para quem vive em Portugal. Por isso, é importante recorrer a um intermediário de crédito com experiência em processos de portugueses residentes no estrangeiro. 

E porque é mais complexo? Excelente questão! A dificuldade prende-se em certificar os rendimentos no país de residência dos emigrantes. Consoante os países de residência pode ser necessário deslocar-se à embaixada de Portugal, apostilhar os documentos ou deslocar-se ao banco certificar os rendimentos. No fundo, temos de provar e justificar aos bancos em Portugal quanto é que realmente ganha ou como funcionam os impostos desse país.

Vamos dar-lhe um exemplo para facilitar a compreensão. Há países que não têm declaração de impostos, ou que o vencimento é recebido à semana e não ao mês, entre muitas outras opções. Estas diferenças acabam por tornar os processos mais complexos.

Mas, não se assuste, com a ajuda de profissionais qualificados, todo este processo é bem mais simples e fácil!

Qual o total de financiamento dado a um português residente no estrangeiro?

É importante salientar que a aprovação ou não é dependente do banco escolhido e da nacionalidade dos intervenientes.

Vamos voltar aos exemplos, imaginemos a seguinte a situação: um português é casado com uma cidadã suíça sem nacionalidade portuguesa: na ótica da instituição bancária este processo pode ser considerado como um crédito para clientes estrangeiros. Nesses casos, basta que um dos intervenientes tenha nacionalidade estrangeira para que alguns bancos apenas passem a financiar até 60% do valor do imóvel.

Isto é muito diferente do usual financiamento dado a clientes portugueses residentes no estrangeiro. Na maioria dos casos, o valor financiado é até 80%.

É nestas situações que um intermediário de crédito pode ajudar e muito os portugueses nesta situação.

Através desta primeira análise de necessidades e do país de residência o seu processo é enviado para os bancos certos e que correspondem melhor aos objetivos que traçou. Vai poupar muito tempo e dinheiro com esta preciosa assistência.

Está-se a perguntar se o pode fazer sozinho? Sim, pode fazer sozinho, no entanto vai perder  imenso tempo a perceber qual é a melhor proposta e sem a garantia de ser a melhor para si. Um profissional com experiência e formação na área, em poucos minutos conseguirá encaminhar para os locais certos. O mais importante, é que esta primeira análise não tem custos para quem pede o crédito.

Regras específicas quanto ao crédito para um emigrante:

Uma das dicas que usualmente damos a quem nos procura é que comece a simular o crédito habitação, aprove o mesmo e só depois comece à procura do imóvel.

E isto porquê?

Um processo de crédito a não residentes em Portugal, em média demora 2 a 3 meses até à escritura.

O motivo é simples, como explicado acima é preciso certificar os rendimentos. E este é o processo mais chato e moroso. Uma vez que cada país tem a sua documentação específica e leis próprias é preciso justificar os rendimentos e explicá-los em Portugal.

Portanto, se já tiver o crédito hipotecário aprovado, já sabe até que valor pode procurar imóvel. E quando o encontrar basta enviar a documentação do mesmo para o banco, agendar a avaliação do imóvel, atualizar os rendimentos (quando necessário),  e caso esteja tudo correto enviar de imediato para a escritura.

Se decidir fazer este processo ao contrário, o tempo que poderá demorar a aprovar o crédito, pode ser suficiente para perder o negócio imobiliário. Na realidade, está até a criar-lhe uma expectativa irreal, pois ainda não sabe qual o valor do financiamento concedido. 

Siga então estes passos:

Primeiro trate de aprovar o crédito. De seguida, procura o imóvel, pois já conhece o montante máximo que o banco empresta.

Que documentos necessita para financiamento?

Existe duas coisas que deve reter desde início:

  • A documentação necessária é  diferente de país para país; 
  • A documentação deve estar sempre atualizada.

Quanto ao primeiro ponto, e como referido, a documentação varia de país para país, mas normalmente os seguintes pedidos são usualmente requisitados para aquisição de crédito de habitação:

  • Folhas de salário; 
  • Extratos bancários da conta onde recebe rendimentos;
  • Declaração de Impostos do país onde reside e em Portugal (caso existam);
  • Contrato de trabalho; 
  • Mapa de responsabilidades de crédito no país onde vive;
  • Cartão de Cidadão

Interessa agora que mantenha esta e outra documentação pedida sempre atualizada.

Vamos imaginar a seguinte situação. A sua documentação para adquirir um financiamento foi enviada em Agosto. Quando chegamos à primeira semana de Outubro, já é preciso a documentação atualizada de Setembro. Funciona assim seja para residentes em Portugal, seja no Estrangeiro.

É importante ter noção que, a documentação atualizada é fundamental e, sabendo isto, está precavido e não é surpreendido quando o banco pede a atualização de rendimentos, e acredite poupa imenso tempo.

A relação dos bancos portugueses com bancos estrangeiros:

Imagine que o banco que tem a melhor proposta para si não tem escritório no país onde reside. Isto não significa que não possa realizar o crédito nesse banco.

Depende sempre do tempo que temos para tratar do processo, deslocações a Portugal e expectativas de quem pede o financiamento. Todas estas situações são tidas em conta na nossa Consulta de Analise de Crédito gratuita, e aconselhamos o cliente tendo por base esses factores.

Tenha em atenção que os bancos em Portugal não hipotecam casas no estrangeiro. A hipoteca do crédito será sempre no imóvel que vai adquirir em Portugal.

Em resumo..

Podemos concluir que o processo de crédito apesar de muito criterioso e específico, tem maior probabilidade de sucesso com um profissional ao seu lado. 

É possível adquirir imóvel em Portugal, seja ele para investimento ou para habitação própria, mesmo recebendo o vencimento noutro país. Na realidade, nem necessita de ter conta bancária em Portugal, essa pode ser aberta assim que o crédito hipotecário for pré-aprovado.

Os bancos não financiam a totalidade do valor da compra do imóvel nem as despesas inerentes.  É necessário uma entrada de 20% do valor do imóvel e aproximadamente mais 5% para despesas bancárias e impostos em Portugal.

Estes valores e todas as previsões de despesas que vai ter no processo de compra de imóvel em Portugal, é também apresentado na nossa Consulta de Análise de Crédito. Esta é gratuita.

Obter pré-aprovações bancárias não tem custo! Os custos só começam quando o cliente decide por qual banco pretende optar e avança com a abertura de conta/avaliação do imóvel e aprovação final.

Não tem qualquer compromisso, pelo que pode optar por adiar ou desistir em qualquer momento.

Peça a sua Consulta de Análise de Crédito, para podermos a encontrar a melhor solução para o seu projeto em Portugal. 

 

partilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
outros artigos
dispomos de outros artigos que podem ser do seu interesse

Guia Completo: Regime de Isenção de Iva

Muitas pessoas se questionam em que situações estão isentos do pagamento do IVA, especialmente aqueles que pelo seu volume de faturação ou natureza da sua atividade podem entrar num regime especial. Neste artigo pode encontrar uma resposta através do guia completo para o regime de isenção de IVA.

ler artigo »

Vamos todos ficar bem: desafio arco-íris

“Vamos ficar tudo bem” é uma iniciativa que surgiu na Itália, o país europeu mais afetado pelo coronavírus. Esta mensagem tem como objetivo transmitir positividade e esperança neste momento em que vivemos. Para além disso é uma atividade lúdica e criativa para as crianças.

ler artigo »