3 Abril 2023

Casamentos e divórcios no estrangeiro: como registar em Portugal?

Artigo redigido por Rui Rodrigues, Solicitador com a cédula nº 5931

 

Neste espaço que nos é oferecido pelo Balcão do Emigrante para escrevermos sobre assuntos que sejam do interesse da comunidade Portuguesa no estrangeiro, debruçamo-nos sobre um dos temas que mais faz correr a emigração Portuguesa aos Consulados e que maiores complicações acarreta: A actualização no Registo Civil Português dos casamentos e/ou dos divórcios realizados em país terceiro.

Como é comumente sabido, o registo do casamento e/ou divórcio realizado no estrangeiro não fica imediatamente registado em Portugal. É necessário, para que tal aconteça, pedir a transcrição dos atos, que mais não é que pedir o registo em Portugal de atos que já se tornaram válidos no estrangeiro.

Contudo, as transcrições estão sujeitas a regras, muitas das vezes complexas, que atormentam quem tem de o fazer.

Comecemos por analisar a transcrição dos casamentos:

O cidadão português que casou no estrangeiro, perante as autoridades locais, pode transcrever o seu casamento em Portugal, devendo para o efeito requerê-lo no consulado ou em qualquer conservatória de registo civil, juntando:

 – Certidão de casamento;

 – Fotocópia autenticada da convenção antenupcial caso a haja;

 – Certidão de nascimento se algum for estrangeiro;

Toda a documentação deve ser legalizada e traduzida de modo a ser utilizada em Portugal. O serviço paga emolumentos de 120 euros e é realizado em cerca de quinze dias.

Mas mais complexo do que o registo dos casamentos é o registo dos divórcios. Passada a batalha judicial, os intervenientes vêem-se muitas vezes perdidos para registar tal divórcio em Portugal. Isto porque, dependendo do ano em que o divórcio foi pronunciado, o procedimento pode ser mais simples ou mais complexo. Por questões de simplicidade, analisamos apenas divórcios da UE.

 – Divórcio decretado antes de 1 de Março de 2001: Como explica o Consulado Geral de Portugal em Paris, “neste caso, a sentença deve ser revista e confirmada por um Tribunal da Relação em Portugal, devendo ser constituído advogado”. Deve ser traduzida a sentença que pronunciou o divórcio, assim como o certificado emitido pelo Tribunal que determina que a sentença é definitiva e que não houve recurso. Estes processos pagam de Taxa de justiça 306 euros e têm custos com certidões de cerca de 60 euros, sendo decididos num prazo de 9 meses a um ano.

 – Divórcio decretado após 1 de Março de 2001: Mais uma vez, baseamos a explicação naquilo que indica o Consulado Geral de Portugal em Paris, informando que de “acordo com o Regulamento CE nº 2201/2003, os divórcios são reconhecidos em Portugal sem necessidade revisão”, bastando para tal a tradução da Sentença de divórcio proferida por tribunal e o certificado previsto pelo artigo 39º do Regulamento CE nº 2201/2003, o serviço não paga emolumentos e é tratado num prazo de 15 dias.

Tendo em consideração que estes procedimentos implicam deslocações a mais do que um serviço, aconselhamos que, em caso de problema, recorra aos serviços de profissional qualificado para o auxiliar.

Deixamos ainda uma última nota para a importância de ter o estado civil “em dia”, tanto no país de residência como em Portugal. Tal evitará problemas futuros para si (nomeadamente se tiver heranças a partilhar e constar como casado, o cônjuge terá de assinar a partilha), ou para os seus futuros herdeiros, que terão de fazer estes registos no caso de falecimento.

 

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver mais artigos

Clica nos tópicos para ver mais artigos

artigos relacionados

eventos

Comprar casa em Portugal

Direto

29 fevereiro 2024

18H

Hora
europa
central

artigos em destaque

conferências

Conferência Regressar a Portugal a partir do Luxemburgo

Conferências

27 de abril de 2024

Hora
europa
central

útimos artigos

Outros artigos que podem ser do seu interesse

Sabe como calcular a CEAL?

Soluções
Fiscais
17 Janeiro 2024
regressar-a-portugal

Poupar nos impostos durante 10 anos para pensionistas que regressam a Portugal, está a chegar ao fim

Soluções
Migratórias
17 Janeiro 2024
pedido-da-reforma-em-portugal

Pedido da reforma em Portugal

Soluções
20 Dezembro 2023